#TBT: 10 tweets antigos meus que não são polêmicos, mas tô resgatando mesmo assim

No começo da semana fomos bombardeados com notícias de que ~certo cantor~ tinha um passado negro naquela rede social de microblog chamada Twitter. Acho que nunca antes na história desse país havia sido registrado uma epidemia de vômitos tão grande quanto a que tivemos depois de ler tantas coisas de ~opiniões fortes~ de um garoto alegria & ousadia.

Vida que segue, ignorei quem merecia ser ignorado e decidi olhar meu Twitter para saber o tipo de asneira que falo por lá. Acho que tá tudo bem, não vou presa e nem quis abrir um buraco no chão por coisas idiotas que eu possa ter falado e mudei de opinião. Só que já que eu fiquei olhando minha própria timeline vou compartilhar aqui umas opiniões sempre atuais, que de tão atuais às vezes da vontade de imprimir, emoldurar e colocar na parede (mas não façam isso porque seria assustador).

Vejam só:

1- Quando faz calor e eu tô usando calça jeans

2 – Me senti enganada com essa frase do cancioneiro brasileiro

Leia mais »

#TBT: Bazinga girl

Sempre gostei de piscina de bolinhas. Ok, eu sei, que criança não gosta? Mesmo o menor dos espaços vira um enorme campo de diversão na cabeça de uma criança. Meus pais dizem que eu adorava me afundar ali no meio das bolinhas, causando mini ataques cardíacos na minha mãe porque eu desaparecia e ela achava mil coisas, menos que eu estava me escondendo.

Era só eu ficar alguns segundos fora de seu campo de visão que ela queria entrar ali no meio para me encontrar, então eu aparecia sorrindo marotamente. Mesmo assim ela sempre me deixava voltar a brincar disso, mesmo sabendo que eu iria desaparecer, que ela teria que ir atrás e eu apareceria sorrindo. Ou minha mãe era muito preocupada ou ela realmente gostava de piscina de bolinhas.

Leia mais »

#TBT: Da primeira vez que eu fui a noiva

Eu tinha 6 anos quando na sala de aula a professora fez um sorteio e anunciou que a noiva da quadrilha seria eu. Foi assim, inesperado. Não passei meses planejando, não roubei e risquei o nome das amiguinhas para me garantir no sorteio e nem ganhei presentes por isso. Simplesmente teve uma festa junina e eu era a noiva.

O noivo era um garoto que estudava comigo, mas eu não lembro muito dele, então acho que não éramos muito amigos. O que eu sei dele é que ele era baixinho, mas agora não sei se ele realmente era bem baixinho ou se eu que era mais alta que a maioria dos amiguinhos. Nunca saberemos.

Leia mais »

#TBT: Da minha primeira viagem de avião

Eu estava na 4ª série quando o colégio organizou uma viagem para conhecer as cidades históricas de Minas Gerais, seria um passeio por Ouro Preto, Tiradentes, Mariana e Congonhas. Eu estava empolgada com tudo, seriam quatro dias que viajaria sem meus pais, dois dias faltando na escola para uma excursão da própria escola, quatro dias de festa do pijama com as amiguinhas e, o mais importante, seria a primeira vez que eu viajaria de avião.

Essa foto foi tirada no aeroporto antes da viagem quando reunimos as meninas da minha escola. Talvez não dê para perceber na foto, em parte pelo sono de ter que estar no aeroporto antes das sete da manhã, mas a ansiedade estava a mil. Eu não sei se dá para entender o que era tudo isso na cabeça de uma criança de 10 anos, mas era algo como muita ousadia & alegria.

Leia mais »

#TBT: A princesinha do papai

Antes de eu nascer quando perguntavam ao meu pai se ele preferia ter menina ou menino ele respondia menina (pelo menos é isso que ele diz). Durante cinco anos eu reinei sozinha como a princesinha da casa, depois tive que dividir o espaço com a minha irmã – e eu achava isso muito mais divertido.

Quando éramos pequenas as pessoas diziam que eu era a cara da minha mãe e a minha irmã a cara do meu pai, mas elas não sabiam que embora eu não tivesse herdado o cabelo cor de mel dele nós compartilhamos outras características. Temos em comum, por exemplo, o gene que torna as pessoas desastradas (culpa do DNA , juro!) e a habilidade com piadas ruins.

Meu pai é do tipo que já chega nos lugares sendo legal com todo mundo e se envolve em todos os projetos possíveis, por isso por muito tempo fui conhecida como a filha do Mauro e eu sempre tive muito orgulho disso. Meu pai é um gordinho gente boa, de bom coração e que faz tudo pela família dele, então por que raios eu ficaria incomodada?

Leia mais »