Conhecendo o Museu do Amanhã

luavainomuseudoamanha1

Quando pequena era comum a escola organizar visitas a museus e eu era figurinha fácil nessas excursões, mas depois que cresci essas visitas foram ficando mais escassas. Mesmo assim, vez ou outra ainda rola umas visitas a esses lugares cheios de cultura e na última semana conheci o Museu do amanhã no Rio de Janeiro. Pelo que já tinha visto em reportagens e ouvido as pessoas falarem eu sabia que seria incrível, mas foi mais.

O encantamento começa quando você da de cara com o museu. Como é lindo. A arquitetura é linda, a vista é linda e você não sabe se as fotos saem melhores do lado de dentro ou de fora. E como nem só de beleza é feito um museu, a interatividade que ele oferece me lembrou muito a do Museu da Língua Portuguesa, coisa que eu achava maravilhosa.

Assim que entra você dá de cara com um globo terrestre lindão que fica girando lá no alto e depois de passar pela bilhereria você pode subir para ver a exposição principal, feita de 5 áreas: Cosmos, Terra, Antropoceno, Amanhãs e Nós.

luavainomuseudoamanha2

Minha preferida, sem dúvida alguma, é a Cosmos, ela acontece dentro de um domo e um filme sobre o universo e a nossa origem se passa em 360º. Não podia fotografar lá dentro, mas foi a melhor e mais linda experiência dentro do museu. O texto, as imagens, o som, eu poderia sair do museu naquele instante que já teria valido a visita.

Ao sair do filme você dá de cara com um dos três cubos da parte Terra. Cada cubo foca em uma das dimensões da existência: matéria, vida e pensamento. Ainda é tudo lindo e você fica hipnotizado olhando dentro e fora dos cubos. Aqui você já se depara com uns painéis interativos que vão te contando um pouco mais do que você quer saber sobre aquele assunto.

museudoamanhacubo

Depois podemos ver o Antropoceno onde há seis totens que passam um vídeo sobre o impacto da humanidade sobre o planeta. Bem no meio deles há um sofá para que as pessoas possam assistir tudo ali no meio, acredito que seja uma forma de fazer com que a gente sinta que somos parte de todas as mudanças que acontecem no mundo. Esse é um espaço bem reflexivo, não tem como não sair de lá indiferente e não se preocupar com o rumo que o planeta segue.

Em seguida há o espaço dos Amanhãs. Você se deixaria ser operado por um médico robô? É bizarro imaginar o quanto a tecnologia evoluiu nos últimos anos e às vezes é difícil imaginar até onde podemos ir. Confesso que muitas das perguntas que vi por lá eu não saberia responder se fossem reais. Talvez um dia elas sejam e não sei se estou preparada.

luavainomuseudoamanha3

Fechamos a exposição principal no espaço Nós, nós que somos os responsáveis pelo futuro do planeta e cada decisão que tomarmos terá consequência para todos. Aqui também encontramos a Churinga, um último artefato exposto que é objeto da cultura arborígene australiana, que simboliza a conexão entre passado e futuro.

Depois de todo o tempo na exposição principal ainda passamos rapidamente pela exposição secundária O poeta voador, Santos Dumont. Confesso que pela hora (era mais de 17:30) não deu tempo de aproveitar como deveria. A vontade certamente é voltar e aproveitar mais um pouco, inclusive para tentar entrar na réplica de um Demoiselle construído em tamanho real onde os visitantes concorrem a um voo virtual dentro dele.

O que eu posso dizer antes de finalizar tudo isso é: assim que der, não perca a oportunidade e vá porque é um museu que vale muito a pena. Esqueça aquilo que você conheceu como museu na época da escola, a tecnologia vai te ajudar a se envolver com cada obra exposta.

luavainomuseudoamanha4

Anúncios

4 comentários sobre “Conhecendo o Museu do Amanhã

    • Cíntia, eu tava em SP antes do RJ, consegui uma promoção de avião que era o mesmo preço de ônibus (pq viajar pro rio tá custando um rim, mesmo que seja de ônibus) e o museu para não morador/natural do rio/não estudante tá 10 reais. É lindo por fora e por dentro! Pode colocar no roteiro da próxima viagem que vale a pena!! Beeijo

  1. Oi lua!

    uma das coisas que mais detesto sobre morar no interior do fim do mundo é o fato de não poder visitar essas coisas lindas com a frequencia que eu gostaria. Poxa, eu tenho potencial, mundo. Eu sou legal. Me tirem desse buraco HAHAHA

    P.S.: Vi ali o comentário do twitter. ORPHAN BLACK É FODA, MENINA. Só não vale roubar a cosima de mim, digo logo u.u HAHAH

    beijo
    beinghellz.com

    • Hellz, hj eu também tô morando no interiorrr, mas aproveito que minha família ainda mora em SP e a do mozao no RJ pra fazer esses passeios às vezes! Hahahaha

      Sobre Orphan Black eu tô amando!!!! A cada episódio que passa eu gosto mais da Helena! HAHAHA o mundo precisa de umas doidas pra funcionar!! =P
      Beijoo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s