[Desafio 52 semanas] Semana 23: Coisas que me incomodam no mundo contemporâneo

Parece que a cada semana que passa fica mais difícil responder esses desafios. Já dizia a rede Globo de televisão: o futuro já começou. E eu gosto dele. Eu sei que ele tem um monte de problemas, mas ainda acho que o hoje é melhor que o ontem (não em tudo, eu sei também). Pode parecer loucura, mas, acreditem, o machismo já foi pior, assim como o preconceito. Já tivemos guerras mundiais, um looongo tempo sem tecnologia e até mortes por doenças que hoje podem ser facilmente tratadas.

De toda forma sempre tem um ou outro detalhe que provoca aquele sentimento de que tem alguma coisa errada, o que hoje eu vejo ser bom porque agora posso responder ao desafio:

– Consumismo desenfreado
A calça que você comprou no inverno passado já saiu de moda, o celular que lançaram agora já deixou aquele que você comprou há 6 meses ultrapassado – e olha que aquele era o modelo do momento, o objeto de desejo de 10 entre 10 viciados em tecnologia. No último ano você comprou tanta maquiagem que nem que você pinte seu corpo todo diariamente você conseguirá usar todos os produtos antes da data de vencimento. Todo dia surge um tantão de produtos novos que você acha que PRECISA comprar. Não tem nada errado em comprar coisas, você não precisa viver ~só~ com o essencial, mas o mundo agradeceria se tivéssemos um consumo mais consciente.

– Meu celular, minha vida
Talvez esse seja um problema meu e talvez eu devesse procurar ajuda em algum grupo de apoio em pessoas viciadas em tecnologia. O fato é que o mundo contemporâneo me deu um celular e agora preciso dele pra qualquer coisa. Ele é uma extensão do meu corpo, meu cérebro, por exemplo, já nem sofre tanta pressão pra guardar algumas informações já que meu celular pode fazer isso por ele. Isso é uma coisa boa, certo? Mais ou menos, porque a partir do momento que eu me sinto seriamente incomodada quando tô longe do celular ou quando ele tá sem bateria é porque tem algum problema acontecendo. Se tivesse menos celular em minha (nossas) vida(s) teríamos um mundo com mais olho no olho e mais conversas por aí. Às vezes fica até difícil acreditar que as coisas já foram assim um dia.

– Crianças adultas
Quando criança a gente queria crescer e virar adulto, então a gente brincava de ser adulto. Hoje as crianças querem ser adultas e fazem coisas de gente grande. Tem musinha fit que se preocupa com alimentação e exercícios e tem criança no funk usando roupa piriguete. O amor platônico? Ficou no passado porque agora todas têm namoradinhos. E não é só isso não, beijam na boca dos namoradinhos. E de língua. O negócio é crescer logo senão você fica pra trás e vira a criançona da turma. Talvez eu apenas esteja ficando velha e exagerando nesse ponto. Ou talvez eu esteja certa e meu incômodo tenha alguma razão.

– Superexposição
Lembro uma vez na faculdade rindo com os amigos falando “Pra que serve o Twitter? As pessoas ficam falando informações desnecessárias da vida delas. Eu não quero saber o que elas almoçaram”. Eu ainda não sabia, mas aquilo era só o começo. Tem gente que precisa dizer e fotografar o que almoçou, onde foi, qual foi o assunto que rolava durante a refeição, o que estava vestindo, quem foi o garçom que serviu e qual a impressão que teve sobre ele e se a comida tão bonita nas fotos (ou não) provocou gases. Não sei se posso dizer que isso é algo que me incomoda e tira o sono, mesmo porque sou fofoqueirinha e acompanhar a vida alheia é uma das formas de procrastinar no mundo contemporâneo, mas algumas coisas são desnecessárias. Mesmo.

E tudo se resume a: Excessos
De consumo, de tecnologia, exposição, trabalho, trânsito, impostos, informações desnecessárias, violência, julgamentos e tudo mais.

Este post faz parte do desafio 52 semanas, para saber mais sobre ele é só clicar aqui e para ver todos os posts do projeto no blog, clique aqui.

Anúncios

3 comentários sobre “[Desafio 52 semanas] Semana 23: Coisas que me incomodam no mundo contemporâneo

  1. Ai, miga que sofrencia essa atualiadade, não é mesmo? Tô cansada disso tudo, e sempre com medo de estar no meio sem perceber. As vezes chego no twitter querendo falar, escrevo uns textos pro blog, tiro umas fotos bonitinhas, aí paro e penso “tenho que mostrar isso mesmo?” e deleto. Péssima época pra ser uma desesperada com a ideia de sumir no meio da multidão. Socorro.

    • Acho que sou meio bipolar com esse lance de redes sociais. Tem vezes que eu curto tudo, vejo tudo, posto tudo… e tem dias que sumo como se eu nunca tivesse existido. E assim vamos vivendo (y)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s