Paulista x Carioca

É só falar da rivalidade entre paulistas e cariocas pra vir uma infinidade de clichês à mente. Alguém já disse que clichês não são clichês à toa e eu, legítima paulistana, casada com um carioca, vivo eles todos os dias, das intermináveis discussões biscoito x bolacha até a indignação ao ver colocarem ketchup na pizza.

Sobre todas essas diferenças eu nem me importo com o fato do táxi ser amarelo e da pipoca doce não ser vermelha. Também acho graça quando falam “êxtra” ao invés de “éxtra” e “pôça” no lugar de “póça”, mas tem coisas que mesmo depois de tantos anos convivendo com o ~mozão~ e de ter conhecido tantos cariocas, ainda não entendo e chego até a torcer o nariz.

É por isso que venho aqui defender o ponto de vista dos paulistas em relação a todas essas questões. Se você é paulista assine em baixo como forma de apoio, se você é carioca não leve a mal e vamos sair para comer uns joelhos e depois tomar um milkshake no Bob’s para fazer as pazes. Se você não faz parte da treta vem só acompanhar então:

Biscoito x Bolacha
A discussão das discussões entre todos paulistas e cariocas. O carioca defende que o certo é falar biscoito só porque vem escrito no pacote. Eu defendo que biscoito é o nome científico da coisa, por exemplo, você não vai à feira e fala que vai comprar Solanum tuberosum, você vai comprar batata. A palavra biscoito só é aceitável quando nos referimos ao biscoito de polvilho, certo?

– Beijinho no ombro no rosto
Há sempre duas situações para cumprimentos com beijinho: ou você deixa alguém no vácuo ou você é deixado no vácuo. O paulista sabe que para os cariocas são 2 beijos e os cariocas sabem que para paulistas é apenas 1, então quando os dois se encontram e se lembram desse detalhe cada um tenta fazer da maneira do outro, o que faz com que o paulista fique no vácuo. Agora me digam, qual a necessidade disso? 2 beijinhos? Tempo é dinheiro, galera.

– Mc Donald’s x Bob’s
Em São Paulo você pode ir à uma praça de alimentação de shopping no sábado à noite que o Bob’s vai estar sempre vazio, já o Mc Donald’s vai sempre estar entupido, mesmo em uma segunda de manhã. Enquanto em SP o Bob’s ainda está aberto graças ao Milkshake (e aos cariocas que visitam a cidade), no Rio a cada esquina tem um Bob ‘s e sempre tem gente. Tem carioca que defende falando que o problema é que em SP o lanche não é tão bem feito quanto no Rio, mas, gente… O hambúrguer do Bob’s parece desses de caixinha, não é que seja ruim, mas da pra fazer em casa!

– Pebolim x Totó, Enroladinho x Joelho, Farol x Sinal, Mandioca x Aipim
Com o tempo a gente percebe que é quase um segundo idioma e confesso que ainda não sei todas as palavras alterativas, mas meu dicionário vem ganhando novos verbetes a cada dia que passa. Eu até sei que não tem como discutir as diferenças de palavras, mas qual o sentido de chamar um jogo pelo nome de cachorro? Os bonequinhos latem quando fazem gol? E joelho? É comida, não parte do corpo!

– Cuscuz
Tanto paulista quanto carioca entraram em um acordo sobre a palavra cuscuz, só esqueceram de combinar o que cuscuz deveria significar. De um lado os paulistas defendem um prato salgado que envolve praticamente todos os restos de comida da geladeira, do outro temos os cariocas defendendo um prato doce que eu ainda não entendi direito o que é, mas dizem que com leite condensado fica muito melhor. Eu não sei nem como defender esse tópico, por enquanto fico com a pesquisa da palavra “cuscuz” no Google.

– Hora do Parabéns: Pique Pique x Big Big
Praticamente em todo aniversário eu e o meu marido voltamos a essa discussão, ele canta errado e é meu dever alertá-lo sobre isso. O “é pique, é pique”, “é hora, é hora” e o “rá-tim-bum” foram acrescentados ao parabéns a você por estudantes da Faculdade de Direito do largo São Francisco em São Paulo. O “é pique, é pique” era uma saudação ao estudante Ubirajara Martins conhecido como “pic pic”. Os estudantes eram convidados para as festas de aniversários e usavam seus bordões para animá-las. Se tem dúvidas é só ver aqui.

– Pizza de calabresa
O nome da pizza já diz: pizza de calabresa. Sem queijo. Sem pimentão. Sem sei lá o que vocês chamam de calabresa. O aceitável são azeitonas e cebolas. Ah, nada de ketchup ou maionese por cima, no máximo um pouco de azeite, a não ser que vocês usem ketchup para tirar o sabor da pizza.

– Rio: 50 tons de amarelo, SP: 50 tons de cinza
Podem reparar a placa na divisa dos dois estados, o ícone que representa o Rio é Pão de Açúcar, o de SP são prédios. Sempre que alguém te falar sobre o Rio de Janeiro a primeira imagem que você terá em mente é de um dia ensolarado, pouquíssimas nuvens no céu e alguma praia/morro/cristo redentor. Se você pensar em SP você vai ter a imagem da avenida Paulista, muitos prédios e um dia nublado e chuvoso.

Apesar de todos seus problemas São Paulo é uma cidade cheia de oportunidades e diversidade, amo tudo o que ela é e o que oferece. O Rio de Janeiro também tem seus problemas, mas putaqueopariu entra ano, sai ano e ele continua lindo! ❤ Vamos empatar esse item, ok?

Anúncios

4 comentários sobre “Paulista x Carioca

  1. Sou super fã desta blogueira. Luana, paulista, nascida na Av. Paulista. Agora fui presenteada com um genro carioca. Tudo de bom! Essa mistura cultural só faz bem !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s