07 músicas para cantar no videokê

Oi, meu nome é Luana e tenho 26 anos de pura timidez, mesmo assim seria legal perder a vergonha para cantar algumas músicas no videokê com a galera, com direito a coreografia e tudo mais.

Na verdade, quando pequena eu adorava um videokê, mas quem estava a minha volta não curtia muito quando eu pegava o microfone. O tempo passou, eu cresci agora sou mulher, tomei vergonha na cara e parei de fazer os outros sofrerem com a minha voz.

Mas, entretanto, todavia, a maturidade também me diz pra parar de me importar com o que os outros vão pensar e fazer aquilo que eu quiser. É por isso que já estou me preparando nos chuveiros da vida, para qualquer dia desses encarar um videokê, cantar, dançar e me empolgar sem medo de ser feliz. Quem quiser me acompanhar já pode ir treinando essas músicas aqui óh:

Total eclipse of the heart – Bonnie Tyler

Clássico dos clássicos dos clássicos, talvez o dia que eu não me importar em encenar um pequeno drama me humilhando publicamente enquanto canto tudo errado, meio que uma versão iarnuour de Total eclipse of the heart, eu cante essa. Nesse dia meu maior problema será encontrar alguém para ficar repetindo “turn around”.

Let´s go to the mall – Robin Sparkles

Desde que ouvi a musa Sparkles cantando isso pela primeira vez é comum me pegar cantarolando mentalmente essa música com o sotaque de adolescente descolada. Além da letra também estou pegando as dicas de coreografia no Just Dance.

 

Call me maybe – Carly Rae Jepsen

Desde que essa música estourou e pipocaram várias versões em vídeos, ela tem estado na minha cabeça como chiclete. Acho que a única forma de me libertar e superá-la é fazendo minha própria versão.
(Te dedico, Camilla!)

 

Mania de você – Pepê e Nenem

Vocês não sabem, mas nas madrugadas boladonas em casa eu e minha irmã fazíamos covers incríveis de Pepê e Nenem. Um dia ainda mostraremos nosso talento ao mundo! Só precisaríamos acertar a sincronia na parte “olhos nos ol… olhos nos olhos… boca na bo.. boca na boca” pra não virar zona.

 

Ragatanga – Rouge

Sim, eu assistia Superstar e na época eu já tinha noção de que nunca chegaria a ser uma estrela da música, por isso quando eu estava sozinha em casa aproveitava que não tinha ninguém julgando e cantava/dançava Rouge. O legal de Ragatanga é que todo mundo canta junto, mesmo sem saber cantar. Até o Diego virar a esquina todo mundo sabe a letra, mas depois ninguém lembra direito o que ele faz além de estar possuído pelo ritmo.

 

Oitavo andar – Clarice Falcão

Talvez essa não fosse a melhor canção para um dia de festa, ousadia e alegria, mesmo assim, se eu tenho que aguentar as pessoas com suas nuvens de lágrimas eu também poderia cantar sobre cair em cima de alguém como uma bigorna cai em cima de um cartoon qualquer.

 

Que se chama amor – SPC


Meu pai dizia que quando pequena eu adorava essa música e sabia cantar de trás pra frente. O tempo passou e continuo cantando com a mesma empolgação de 20 anos atrás. Essa eu escolheria para fechar uma noite no videokê, já que posso cantar em qualquer lugar do país que todo mundo conhece e canta junto, principalmente depois de uns copos de cerveja, afinal, quem aguenta essa dor que se chama amor? Oooo ooooo oooooor.

 

E aí, já podemos marcar um videokê? o/

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros gente boa com saudade da internet old school. Para ver todos os posts do Lua Vai que fazem parte do projeto é só clicar aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s